Minha Terra, Meu Umbigo – Poesia em kriol e em português

 

DEDICATÓRIA

À Guiné-Bissau, minha terra, meu umbigo; meu primeiro compromisso e meu maior desafio.

À mana Timi, minha esposa, minha companheira, meu suporte na vida e para a vida. Mulher, sem ti, nada sou…!

AGRADECIMENTOS

Ao Povo Guineense e aos Amigos da Guiné-Bissau.
A todos quantos têm contribuído para o meu processo de aprendizagem e consequente evolução.
A todos quantos direta ou indiretamente me ajudaram ou têm ajudado a ultrapassar, por diversas formas, as dificuldades do dia a dia ao longo dos anos, neste mundo de moribundos sobreviventes…
À minha família, minha força, meu sentir, minha poesia de vida.

APRESENTAÇÃO

A OBRA

É com enorme satisfação que publico este primeiro livro de poesia, intitulado Minha Terra, Meu Umbigo, porém, é igualmente enorme a expectativa relativamente ao seu alcance, encaixe e satisfação, pelo leitor.

Não é fácil definir o que é a poesia, mas por fazer parte da vida das pessoas, situa-se, a meu ver, num entrelaçar de pensamentos, sonhos, sentimentos e emoções, de alguém, que decide partilhar o seu eu (ou mesmo, o eu dos outros), sobre o que pensa, sente, sonha, vê e ouve, levando suas marcas da vida, reais ou imaginárias, a um público alvo que sente e vive a poesia como um nutriente essencial e especial para a sua forma de ser e de estar na vida, neste nosso mundo em que na verdade, somos todos poetas, cada um ao seu estilo, mesmo quando se decide ser poeta no silêncio da poesia das palavras, tornando-se assim num poeta gestual através das ferramentas motoras do nosso corpo.

Poesia é a Liberdade
Da vida que marca
Com voz ou no silêncio
É a luz que brilha
No olhar e na mente
Mostrando caminhos
É a beleza da Natureza

É a Arte de todas as artes
É desenhar pintar e compor
O coração órgão do Amor
De nossas vidas noutras vidas
Na alegria ou na tristeza
Que a Vida nos proporciona
Poesia é o Hino da Humanidade
Na vertente cantada ou instrumental

Minha Terra, Meu Umbigo é uma obra poética que inclui 57 poemas, dos quais 13 em kriol, minha língua materna e língua nacional do meu país, a Guiné-Bissau e, 44 em português, nossa língua oficial.

Escrever poemas em kriol é uma sensação fantástica, pois permite-nos sentir e descrever de forma ímpar e emotiva, as marcas da nossa identidade, incluindo todas as suas realidades, sobretudo, nas vertentes social e cultural que nos identificam e caracterizam como povo.

Permite-nos igualmente abordar com mais e melhor imaginação, a poesia de intervenção focada na ação política, na qual o sarcasmo e a ironia marcam profundamente os conteúdos.

Aproveito a oportunidade para felicitar todos os poetas guineenses que ao longo dos anos têm publicado livros de poesia em kriol, ajudando desta forma na valorização, divulgação, sustentação e afirmação da Guinendadi, ou seja, de tudo quanto nos identifica enquanto Povo Guineense, quiçá, na promoção da Unidade Nacional, através do kriol, o maior e o mais importante património sociocultural da convergência identitária nacional.

Assumo doravante investir mais na promoção e consequente divulgação escrita do nosso kriol e, igualmente, na sensibilização sobre a necessidade de se trabalhar a sua vertente científica enquanto língua nacional, por forma a ser estruturada, padronizada e oficializada.

Minha Terra, Meu Umbigo é um livro de poesia de desabafos, sonhos, olhares, pensamentos, sentimentos e emoções do autor, sobre diversas realidades e conjunturas da vida, sendo o foco a Guiné-Bissau, seu país natal, e que pretende que seja também a poesia do leitor, em função da sua sensibilidade, do seu encaixe e da sua satisfação com o conteúdo ora partilhado.

O AUTOR

Didinho (Fernando Jorge Gomes da Fonseca Casimiro) nasceu em Bissau, República da Guiné-Bissau, em 15 de agosto de 1961.

Fundou em 2003 o Projeto “Guiné-Bissau: Contributo” com o objetivo de sensibilizar a opinião nacional e internacional para os problemas da Guiné-Bissau e de contribuir para a busca de soluções para os mesmos.

Autor de vários artigos, nomeadamente sobre a Guiné-Bissau, colabora com diversos órgãos de informação de vários países do mundo.

Humanista, pensador, escritor, poeta, fotógrafo, ativista social, analista e cidadão político, assim é a abrangência multifacetada de um homem simples e apaixonado pela Vida.

É sócio efetivo nº 1441 da Associação Portuguesa de Escritores desde 23 de maio de 2017

Em 2016 publicou 3 obras literárias:

O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU – COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS – VOL. I 16.08.2016 – EUEDITO.

O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU – COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS – VOL. II 22.08.2016 – EUEDITO.

O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU – COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS – VOL. III 08.10.2016 – EUEDITO.

Didinho

08.05.2018

Deixe uma resposta