Entre o hoje e o amanhã, tendo as pessoas como prioridade

ENTRE O HOJE E O AMANHÃ, AS PESSOAS COMO PRIORIDADE!

Penso que devemos olhar para a pobreza das nossas populações e para o estado de miséria evidente na Guiné-Bissau!

Devemos pensar no futuro sim, mas o que é o amanhã, se a fome nos pode matar já hoje;

Se as doenças nos podem matar já hoje;

Se a ignorância nos deixa hoje incapazes de contribuir, colectivamente, para que nossas capacidades hoje melhoradas ajudem o País e todos, amanhã?

Penso que devemos pensar na promoção de uma vida digna às nossas populações.

Porque é que uns podem viver em habitações decentes e luxuosas, quando a maioria das nossas populações vive como todos sabemos?

Porque estamos a pensar criar mais desigualdades sociais e construir áreas urbanas que espelham contradição, quando deveríamos apostar em melhorar as condições de vida das famílias mais carenciadas, dos agricultores, dos pescadores, de toda a camada populacional produtiva e não afecta ao funcionalismo público, para que possam sentir-se motivadas, habilitadas e capazes de prosperar e serem futuros investidores nas suas regiões e nas suas áreas de produção e negócio…?!

Nas tabancas ninguém tem direito à dignidade de ter uma habitação social ou própria com energia eléctrica, água canalizada, rede de esgotos etc., etc.?

Queremos desenvolver um País, ou uma área urbana da capital do país, em função de interesses pessoais?!

Porquê projectar novos edifícios governamentais, quando a China construiu recentemente o Palácio do Governo onde estão reunidos todos os Ministérios… e sabe-se o que tem custado ao nosso país essa “caridade” chinesa, desde as florestas, aos nossos mares…

Positiva e construtivamente,

Didinho 06.07.2015

Didinho, , ,

Fernando Casimiro

View posts by Fernando Casimiro
Didinho (Fernando Jorge Gomes da Fonseca Casimiro) nasceu em Bissau, República da Guiné-Bissau, em 15 de agosto de 1961 onde fez os seus estudos primários e secundários. Desportista polivalente, foi professor de Judo, tendo participado nalgumas manifestações nacionais e internacionais da modalidade. Em novembro de 1981, deixou Bissau, rumo a Angola, onde veio a ingressar na marinha mercante grega, tendo em 1984 atingido o posto de Oficial Maquinista Naval. Viajou um pouco por todo o Mundo, registando um histórico de 70 países visitados. Após deixar a marinha mercante em 1988, fixou residência em Portugal, onde trabalhou na área de Manutenção Industrial e Metalomecânica até maio de 2015. Empenhado no desenvolvimento e promoção do seu país, criou em 2003 o Projeto “Guiné-Bissau: Contributo” com o objectivo de sensibilizar a opinião nacional e internacional para os problemas da Guiné-Bissau e de contribuir para a busca de soluções para os mesmos. Frequentou o curso de licenciatura em Ciências Sociais, tendo a Ciência Política e a Administração Pública como áreas de especialização. É Consultor para assuntos Políticos, Comunicação e Informação. Autor de vários artigos, nomeadamente sobre a Guiné-Bissau, colabora com diversos órgãos de informação. Humanista, pensador, escritor, poeta, fotógrafo, ativista social, analista e cidadão político, assim é a abrangência multifacetada de um homem simples e apaixonado pela Vida. É sócio efetivo nº 1441 da Associação Portuguesa de Escritores desde 23 de maio de 2017 A 09 de Maio de 2018 publicou o seu primeiro livro de poesia, intitulado MINHA TERRA, MEU UMBIGO, sua 4.ª obra literária, depois de: 1 – O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU – COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS – VOL. I – 16.08.2016 2 – O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU – COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS – VOL. II – 22.08.2016 – EUEDITO. 3 – O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU – COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS – VOL. III – 08.10.2016 – EUEDITO.