DIDINHO – PUBLICAÇÕES DE 21 A 31 DE JULHO DE 2020

RECOLHIMENTO

“A Natureza é simplesmente a essência da nossa existência…” Didinho

Car@s Amig@s, tal como dei a conhecer no passado dia 21 de Julho, estarei “ausente” deste nosso espaço Facebook, a partir de Agosto, que amanhã se inicia, e até finais de 2020.

Por razões profissionais e estando ausente de Portugal (minha residência), por tempo indeterminado, terei que reconsiderar a Agenda dos meus Projectos Literários, em termos de Publicação.

Se conseguir publicar 2 livros até Dezembro de 2020, dos 4 em preparação, seria um grande desempenho, face às 3 ou 4 horas que consigo arranjar para dormir diariamente…

Antecipadamente grato pela compreensão de Tod@s!

Paz, Harmonia e Reconciliação, visando a Unidade dos Guineenses para os Desafios da Edificação da Nação, em prol do Desenvolvimento e do Bem-Estar Comum!

Positiva e construtivamente, até breve!

OBRIGADO Amig@s!

Didinho 31.07.2020

Amig@s,

A partir de Agosto, e até ao final de 2020, quero concluir todos os meus projectos literários pendentes (+ 4 livros), por isso, não estranhem a minha ausência do Facebook de Agosto em diante. Não tem nada a ver com desistir da Guiné-Bissau, antes pelo contrário!

Positiva e construtivamente.

Didinho 21.07.2020


DA HUMANIDADE E DO HUMANISMO…

O ódio não tem cor, mas está em todas as cores… Didinho 24.01.2019

Um dia sonhei que a melhor forma de ultrapassarmos as nossas diferenças, seria assumirmos realmente tudo o que nos difere, enquanto seres humanos, e por via disso, aceitar, considerar e respeitar essas diferenças, entre Culturas; entre o direito e o dever; a ética e a moral, tendo em conta todos os juízos que representam, entre o negativo e o positivo, e consequentemente, o instinto das reacções que geram, face à necessidade da promoção do Humanismo, numa Humanidade cada vez mais intolerante e explosiva…

Positiva e construtivamente.

Didinho 31.07.2020


MENTIRAS E MENTIROSOS…

Estou farto das mentiras (de todos os mentirosos), relativamente ao meu País: Guiné-Bissau…

Didinho 31.07.2020


DAS NOSSAS CONSPIRAÇÕES…

A Guiné-Bissau que temos, infelizmente, e continuaremos a ter, na ausência de Mudanças dignas do termo, é, e continuará a ser fruto/colheita, da permanente conspiração/intriga, dos próprios Guineenses contra a Pátria!

Não há como alicerçar e edificar uma ESTRUTURA que SUSTENTA um TODO, que é o POVO, quando da sua ESSÊNCIA se retira o essencial, quiçá, a UNIDADE, que a fortalece, para se promover a sua própria DIVISÃO, quiçá, a sua própria FRAGMENTAÇÃO, que a enfraquece…!

Positiva e construtivamente.

Didinho 30.07.2020


DAS DISCRIMINAÇÕES E DAS REIVINDICAÇÕES, POR CONVENIÊNCIA, ALEGADAMENTE, EM NOME DA LIBERDADE DE IMPRENSA E DE EXPRESSÃO…

Uma Pessoa; uma Rádio; um Jornal; um Site ou um Blog, servindo de plataforma individual ou colectiva, de comunicação, informação, sensibilização e educação de Massas, que diferença faz, para que uns sejam referenciados e prontamente apoiados, através de gestos de solidariedade em nome da Liberdade de Expressão, de Imprensa; da Democracia e do Estado de Direito e por aí fora, e outros, ignorados…?!

Quantas estações de rádio ou jornais com emissão na Guiné-Bissau conseguem ter tanto desempenho positivo para a Sociedade Guineense, dentro e fora de portas, como muitos sites e blogs, cujos administradores, comprometidos com o País; Dignos e Honestos Cidadãos que informam e educam toda uma Sociedade, têm sido humilhados, ameaçados de morte, sendo que muitas vezes seus blogs e sites são atacados, para destruição dos seus arquivos, peças importantes do dia a dia da nossa história contemporânea?

Quantos Guineenses ou Instituições Guineenses se solidarizaram alguma vez com as outras vias de comunicação social, consequentes da evolução tecnológica, para lá do tradicionalismo dos órgãos de comunicação social assentes em “estruturas físicas”, muitas vezes fora dos contornos legais de registo de actividade?

Nos dias que correm, uma Rádio, um Jornal etc., não precisam, necessariamente, de um espaço físico concreto para prestar serviços à Sociedade.

Quantos Guineenses alguma vez perguntaram sobre as dificuldades e as necessidades financeiras e, ou, materiais, daqueles que lhes fornecem, diariamente, há tantos anos, todo o tipo de informações e análises sobre o nosso País, através das redes sociais, que mesmo as rádios e os jornais existentes na Guiné-Bissau não conseguem disponibilizar?

Quantos Guineenses, incluindo estudantes/académicos, políticos, instituições públicas e privadas, se preocuparam alguma vez com aqueles que gratuitamente lhes deram de beber nas suas fontes, face às suas securas… e com a garantia da pureza da água das suas fontes…?

Porque é que de repente uma estação de rádio que foi, alegadamente, vandalizada por estes dias, em Bissau, se tornou na referência maior do repúdio e da solidariedade, em nome da Liberdade de Imprensa, de Expressão, e, da Democracia e do Estado de Direito?

Haverá ou não, nesta estória, gato escondido com o rabo de fora?

Quantas estações de rádio, jornais, jornalistas, sites, blogs, CIDADÃOS, GUINEENSES, não têm sido vítimas dos sucessivos dirigismos políticos da Guiné-Bissau, sem nenhuma manifestação de repúdio e de solidariedade dos Guineenses?

Vamos dizer que há sempre uma altura para dizer Basta?

Ok. Aceito, mas daqui em diante, que haja coerência dos Guineenses em relação à Solidariedade, com todos quantos investem o seu capital humano e financeiro, sem nenhuma contrapartida, para informar, educar e sensibilizar toda uma Sociedade, correndo todo o tipo de riscos, mesmo sem um espaço físico para as suas formas de intervenção.

Porquê ajudar prontamente a uns e ignorar todos os demais?

Há jornais e rádios da Guiné-Bissau que ficam meses sem publicações/emissões, por falta de verbas, ou por retaliação do poder político, mas ninguém dá uma ajuda. Podem vir a desaparecer, pois não fazem falta, na lógica daqueles que se incomodam com as suas linhas editoriais…

Positiva e construtivamente.

Didinho 28.07.2020


(DIS) FUNCIONALIDADE…

Obviamente, o primeiro sinal da (dis) funcionalidade racional do indivíduo, manifesta-se no próprio indivíduo… Didinho 25.07.2020


DA INDECÊNCIA QUE CONTAMINA A SOCIEDADE GUINEENSE POR VIA DAS REDES SOCIAIS…

Nenhuma esposa que se preze, aceitará de ânimo leve, e em silêncio, que, alegadamente, em defesa de uma suposta amizade, alguém invista na promoção da destruição, por todas as formas, da reputação do seu marido e, consequentemente, da sua família…!

Acabe-se com a hipocrisia de se estar em defesa de alguém, a quem se está a ferir no seu mais sagrado, quiçá, na sua estrutura familiar!

Da relação matrimonial de cada um, em caso de divergências familiares: ou levamos os nossos préstimos para reconciliar e confortar a família com problemas, se nos forem partilhados numa base de intimidade, pelas partes; ou deixamos que o tempo ajude a sarar feridas causadas pela necessidade de melhor aprendizagem na relação familiar desavinda.

O activismo político e ou, social, não tem nada a ver com a vida privada de cada um!

Haja respeito pela vida privada, pessoal e familiar das pessoas, fora do contexto do exercício institucional, político e governativo.

O activismo político tem regras, com base nos Direitos Fundamentais do Cidadão, detalhados que estão na Constituição da República da Guiné-Bissau!

A promoção do ódio, do espírito de vingança; da calúnia e da difamação, de cidadãos em geral, e em especial de Figuras do Estado, como o Presidente da República, são considerados crimes…

A quem interessa a intriga visando a Unidade Nacional e pondo em causa a Dignidade de cada vida humana?

Por mais que tenhamos sido vítimas dos sucessivos regimes ditatoriais na Guiné-Bissau, não devemos promover a divisão dos Guineenses, por um lado, e, investir no incentivo ao ódio e à vingança, materiais altamente inflamáveis numa Sociedade em que cada um tem numa mão uma caixa de fósforos e na outra, um isqueiro…

Tenham responsabilidade e humanismo; dignidade, tolerância, patriotismo e respeito pelo próximo, meus irmãos guineenses, ditos activistas de causas políticas e sociais, que na verdade, foram sempre, de causas pessoais/familiares.

Onde estão as Organizações da Sociedade Civil da Guiné-Bissau, e particularmente, a Liga Guineense dos Direitos Humanos, e as Organizações de Defesa das Mulheres da Guiné-Bissau?

Um Presidente da República deve ser enxovalhado de toda a forma e ninguém diz nada?

Mas se o dito activista for sancionado, seja qual for a forma, já as Organizações da Sociedade Civil, e todos nós que somos a favor das Liberdades, devemos sair em defesa do dito activista?

A Dignidade de uma Senhora, que é Ministra dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, é jogada no lixo, e ficamos impávidos e serenos a assistir ao assassinato de cidadãos por via de ataques às suas vidas privadas, sem provas, e sustentadas por recalcamentos, por instintos de ódio…?!

Afinal, por onde anda o nosso ser e o nosso sentir, Guineenses; a nossa veia cidadã capaz de alimentar e despertar nossa consciência, face aos males, virais, que ameaçam contaminar cada vez mais a nossa Sociedade?

Alimentam-se “audiências” dos “directos” nas redes sociais, em função das conveniências político-partidárias, ignorando PRINCÍPIOS e VALORES; ÉTICA e MORAL; HUMANIDADE e SOCIEDADE; DIREITO e DEVERES; tendo em conta o Princípio da Legalidade…!

Há anos que venho dizendo que temos uma Sociedade doente…

Positiva e construtivamente.

Didinho 25.07.2020


DAS REIVINDICAÇÕES E CONFRONTAÇÕES…

Triste, envergonhado e revoltado com atitudes e comportamentos de irmãos guineenses, levando o nome da Guiné-Bissau, aqui e acolá, como propósito de suas “reivindicações e confrontações”, em defesa de interesses pessoais, familiares e de grupos, mas ignorando a maioria do Povo Guineense que não se revê no ridículo de disputas de galos por um poleiro…

Por favor, deixem de associar todo um Povo às vossas lutas interesseiras pelo poder, quando o essencial para a satisfação das necessidades colectivas, continua a ser negado pelas sucessivas governações, quiçá, por políticos e governantes que movem pessoas, para manifestações ridículas, quando os Guineenses deveriam há muito, despertar para a necessidade de se unirem para a Mudança necessária, capaz de alicerçar a Justiça e sancionar todos os responsáveis entre pessoas e instituições públicas e privadas que teimam em negar a Liberdade e a Vida em Dignidade ao nosso Povo…!

Didinho 23.07.2020


DE QUAL LIBERDADE DE EXPRESSÃO FALAMOS…

“Cultivamos e incentivamos o exercício da mente, desafiamos e exigimos a liberdade de expressão, pois é através da manifestação e divulgação do pensamento (ideias e opiniões), que qualquer ser humano começa por ser útil à sociedade!” Didinho 2003
—————————————————————————-

De qual Liberdade de expressão falamos, relativamente à Guiné-Bissau, quando a “expressão”, numa utilização fora do contexto pelo Respeito aos Direitos Fundamentais do cidadão, pelo próprio cidadão, se antecipa-se e se sobrepõe à Liberdade, fora do enquadramento do Direito e numa vertente pessoal assente num autoritarismo abusivo, reprovável e condenável, que ignora a essência dos Direitos Fundamentais que sustentam todas as Liberdades, limitadas que são, pelos deveres de responsabilização, face à vida em Sociedade…?!

Na Guiné-Bissau, infelizmente, continua-se a confundir o conceito de liberdade de expressão, com o “direito” ao insulto, à agressão verbal, humilhação, ameaças de morte, divulgação da vida privada de cada um, bem como, da diabolização do Estado e das suas Instituições…

Positiva e construtivamente.

Didinho 21.07.2020

 

Cidadania e Direitos Humanos, Didinho, Sociedade,

Fernando Casimiro

View posts by Fernando Casimiro
Didinho Didinho (Fernando Jorge Gomes da Fonseca Casimiro) nasceu em Bissau, República da Guiné-Bissau, em 15 de agosto de 1961 onde fez os seus estudos primários e secundários. Desportista polivalente, foi professor de Judo, tendo participado nalgumas manifestações nacionais e internacionais da modalidade. Em novembro de 1981, deixou Bissau, rumo a Angola, onde veio a ingressar na marinha mercante grega, tendo em 1984 atingido o posto de Oficial Maquinista Naval. Viajou um pouco por todo o Mundo, registando um histórico de 70 países visitados. Após deixar a marinha mercante em 1988, fixou residência em Portugal, onde trabalhou na área de Manutenção Industrial e Metalomecânica até maio de 2015. Empenhado no desenvolvimento e promoção do seu país, criou em 2003 o Projeto “Guiné-Bissau: Contributo” com o objetivo de sensibilizar a opinião nacional e internacional para os problemas da Guiné-Bissau e de contribuir para a busca de soluções para os mesmos. Frequentou o curso de licenciatura em Ciências Sociais, tendo a Ciência Política e a Administração Pública como áreas de especialização. É Consultor para assuntos Políticos, Comunicação e Informação. Autor de vários artigos, nomeadamente sobre a Guiné-Bissau, colabora com diversos órgãos de informação. Humanista, pensador, escritor, poeta, fotógrafo, ativista social, analista e cidadão político, assim é a abrangência multifacetada de um homem simples e apaixonado pela Vida. A 10 de maio de 2017 anunciou a sua candidatura às eleições presidenciais na Guiné-Bissau, previstas para 2019 É sócio efetivo nº 1441 da Associação Portuguesa de Escritores desde 23 de maio de 2017 A 09 de Maio de 2018 publicou o seu primeiro livro de poesia, intitulado MINHA TERRA, MEU UMBIGO, sua 4ª obra literária, depois de: 1 - O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU - COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS - VOL. I - 16.08.2016 2 - O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU - COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS - VOL. II - 22.08.2016 - EUEDITO. 3 - O MEU PARTIDO É A GUINÉ-BISSAU - COLECTÂNEA DE TEXTOS EDITORIAIS - VOL. III - 08.10.2016 - EUEDITO. A sua próxima obra literária intitulada MEUS PENSAMENTOS, MINHAS SEMENTES PARA A GUINÉ-BISSAU deverá ser publicada oportunamente. Contatos: didinhocasimiro@gmail.com +351 962454392 WhatsApp – Fernando Casimiro +351 962454392