Quando há cada vez mais apostas na promoção de lideranças de excelência em África, sejam lideranças institucionais, empresariais, comunitárias etc. etc., não se compreende que não se explore uma ambiguidade de interpretação ao discurso de que “as pessoas passam e as instituições ficam”.

Sem líderes capazes, não há instituições, empresas ou comunidades sustentáveis!

Não é por acaso que se têm criado vários incentivos em forma de prémios, inclusive monetários, para distinguir as lideranças promotoras da Boa Governação em África.

Ainda que ninguém seja insubstituível, as lideranças reconhecidas como de excelência, pelos resultados conseguidos, ou pela projecção de planos de desenvolvimento, crescimento e bem-estar, quer das instituições, empresas ou comunidades, são igualmente promotoras de mecanismos estruturais capazes de formar e garantir novas lideranças, aptas a assumir qualquer função em qualquer circunstância.

Infelizmente ou felizmente, não temos todos vocação ou capacidade de liderança, por isso, devemos desejar e apostar que as Instituições Nacionais, sobretudo, sejam dirigidas por verdadeiros Líderes, para que possamos ter Melhores Instituições!

Positiva e construtivamente,

Didinho 03.09.2015

Deixe uma resposta